Medvedev destitui chefes militares após explosão em arsenal

Acidente deixou oito mortos na segunda-feira; comandantes de engenharia e artilharia foram demitidos

Efe,

24 Novembro 2009 | 16h45

O presidente russo, Dmitri Medvedev, destituiu e expulsou do serviço vários altos comandantes das Forças Armadas nesta terça-feira, 24, devido à responsabilidade na explosão ocorrida na segunda-feira em um arsenal militar da Marinha, que causou oito mortes.

 

Entre os destituídos, estão os chefes das tropas de engenharia, Yuri Baljovitin, e do departamento de mísseis e artilharia do Ministério da Defesa, Oleg Chikirev, informou a agência Interfax.

 

Além disso, o presidente russo também substituiu no cargo o subcomandante do

distrito militar do Volga e Urais para assuntos de armamento, Viacheslav Khalitov; e o chefe interino das tropas de engenharia no distrito militar do Volga e Urais, Aleksandr Bobrakov.

 

Medvedev também solicitou que o ministro da Defesa russo, Anatoli Serdiukov, tome uma decisão sobre a destituição dos chefes do 2º Exército e do Arsenal 31, onde ocorreu o acidente.

 

Segundo o Ministério da Defesa, dois oficiais e seis soldados profissionais morreram ontem por causa da explosão ocorrida em um arsenal militar da Marinha de Guerra na região de Ulianovsk, no curso médio do Volga. "Durante a operação de carregamento de munição em um caminhão, um dos projéteis detonou", disse o coronel Alexei Kuznetsov, chefe interino do serviço de imprensa do ministério.

Mais conteúdo sobre:
Medvedev Rússia militares arsenal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.