1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Naufrágio no Mediterrâneo causou a morte de ao menos 24 imigrantes

A maioria dos náufragos fugiam da guerra na Síria e da convocação para o serviço militar na Eritreia

Pelo menos 24 imigrantes que partiram da África e tentavam chegar à Europa morreram depois que seu barco afundou no Mediterrâneo, disse a Marinha italiana nesta terça-feira, após concluir dois dias de buscas pelos corpos.

Outros 364 imigrantes foram resgatados por embarcações da Marinha e da guarda-costeira depois que o barco pesqueiro virou na noite de domingo, o último de uma série de naufrágios semelhantes.

Dois dias antes, um outro barco carregando imigrantes naufragou perto da costa líbia, e as autoridades temem que cerca de 250 pessoas se tenham afogado.

Imigrantes são resgatados pela Marinha italiana após naufrágio no Mediterrâneo no último domingo
Imigrantes são resgatados pela Marinha italiana após naufrágio no Mediterrâneo no último domingo

Uma multidão de pessoas, na maioria fugindo da guerra na Síria e da convocação para o serviço militar na Eritreia, vem tentando este ano a perigosa travessia, elevando o número dos que chegaram à Itália para mais de 100.000, uma cifra recorde.

A Marinha italiana informou na segunda-feira que resgatou mais de 4.000 imigrantes no fim de semana.

Segundo a agência da ONU para os refugiados (Acnur) estimou nesta terça-feira, 1.889 imigrantes se afogaram no Mediterrâneo este ano, dos quais 1.660 desde o início de junho.