Philipp Guelland|AFP
Philipp Guelland|AFP

Polícia alemã detém cerca de 400 pessoas em ato contra partido anti-imigração

Sob protesto, congresso da Alternativa da Alemanha contra a Imigração (AfD) acontece neste fim de semana em Stuttgart

O Estado de S.Paulo

30 Abril 2016 | 10h39

STUTTGART - Integrantes de grupos da esquerda alemã queimaram pneus e atacaram com fogos de artifício e pedras em Stuttgart neste sábado, 30, em conflito contra policiais e membros da Alternativa da Alemanha contra a Imigração (AfD), partido alemão de direita que se opõe à política do país de aceitar imigrantes e que realizava seu congresso anual no sudoeste da cidade. A polícia informou que cerca de 400 pessoas foram detidas na confusão.

Porta-voz da força policial de Stuttgart, Lambert Maute informou que um efetivo de mil policiais conteve o protesto usando gás de pimenta e canhão d'água contra um mesmo número de manifestantes. "Não houve feridos, apenas um pequeno número de pessoas saiu com irritação nos olhos por causa do spray de pimenta", afirmou.

Os manifestantes bloquearam temporariamente as vias de acesso à sede do partido ao atearem fogo em pneus de carros e formarem correntes humanas. O conflito começou por volta das 6h do horário local e durou cerca de quatro horas, fato que atrasou o início da conferência da AfD, que tem programação para acontecer durante este fim de semana. A expectativa é que as principais pautas do congresso sejam a defesa por medidas nacionais contra a imigração e o islã e a crítica à política monetária pouco rigída do Banco Central Europeu com os países devedores da União Europeia.

O confronto expõe as tensões sociais que vive a Alemanha após o recebimento recorde de um milhão de imigrantes em 2015. Os manifestantes vestiram-se de preto e levaram cartazes com dizeres como "A campanha de ódio de vocês nos irrita" e "Foda-se a AfD". Alguns deles usavam máscaras para não serem identificados./REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Alemanha Imigração Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.