Premiê espanhol rebate acusações da Grécia de que existe um 'eixo' anti-Atenas

O primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy, de centro-direita, rebateu neste domingo as acusações do premiê esquerdista grego de que Espanha e Portugal teriam feito uma conspiração conservadora para prejudicar seu governo anti-austeridade.

REUTERS

01 Março 2015 | 14h56

O primeiro-ministro da Grécia Alexis Tsipras disse que Espanha e Portugal adotaram linha dura nas conversas na zona do euro que tratam da extensão ou não do resgate financeiro à Grécia, pois estes países, segundo o grego, temem a ascensão da esquerda em seus próprios territórios.

Nos últimos anos, os gregos direcionaram boa parte de sua fúria a respeito da política de austeridade por parte dos credores internacionais à Alemanha, o maior contribuinte do resgate de 240 bilhões de euros.

Mas em discurso no sábado para seus correligionários do partido Syriza, vencedor das eleições do dia 25 de janeiro, Tsipras se voltou para Madri e Lisboa, acusando-os de tentar sabotar as negociações por motivações políticas.

"Nós encontramos um eixo de poderes se opondo à gente...formado pelos governos de Espanha e Portugal que, por motivos políticos óbvios, tentaram escantear as negociações", disse Tsipras.

"O plano deles era e ainda é diminuir, derrubar ou levar nosso governo à rendição incondicional antes que nossos trabalhos começassem a colher frutos e antes que o exemplo grego começasse a influenciar outros países", ele disse, antes de acrescentar: "E principalmente antes das eleições na Espanha."

Rajoy respondeu que a Espanha mostrou solidariedade à Grécia como integrante da zona do euro ao ajudá-los no resgate financeiro, e pediu aos gregos que cumpram com suas obrigações e mantenham suas promessas.

"Nós não somos responsáveis pela frustração gerada pela esquerda radical grega que prometeu aos gregos algo que eles puderam entregar", disse.

(Por Costas pitas e Sonya Dowsett)

Mais conteúdo sobre:
ESPANHA ATENAS ACUSACOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.