Sem maioria, nenhum partido tem 'monopólio do poder', diz chanceler britânico

Comentário foi feito com base em pesquisas que apontam vitória dos Conservadores sem maioria absoluta

06 Maio 2010 | 21h01

Efe

 

LONDRES- O ministro britânico de Relações Exteriores afirmou nesta quinta-feira, 6, que sem uma maioria absoluta no Parlamento, "nenhum partido tem o direito moral a um monopólio do poder".

 

Veja também:

linkProjeção indica vitória de conservadores em eleição britânica

especialEntenda as eleições no Reino Unido

 

Miliband comentava as pesquisas de boca de urna após as eleições gerais desta quinta no Reino Unido, que indicam que o Partido Conservador seria a formação com mais cadeiras no Parlamento, mas não alcançaria a maioria absoluta.

 

"Se nenhum partido tem uma maioria absoluta, nenhum partido tem o direito moral a um monopólio do poder", afirmou Miliband em declarações ao canal Sky News.

 

As pesquisas de boca de urna dão aos conservadores britânicos 305 cadeiras, aos trabalhistas, 255, e 61 aos liberais-democratas, resultado que confere a David Cameron o cargo de primeiro-ministro.

 

Estas sondagens, feitas pelas empresas NOP e MORI para os canais BBC, SKY e ITV, antecipam a possibilidade de resulte um Parlamento sem maioria absoluta.

 

Segundo Miliband, se isso ocorrer, os eleitores teriam dado aos políticos "um mandato para que dialoguem uns com os outros" e avaliem se podem chegar a formar um "governo sólido e estável".

 

O ministro, outro dos nomes cogitados como possível sucessor do premiê trabalhista Gordon Brown, não quis comentar essa hipótese: "Temos um líder sólido em nosso partido", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.