Stalin bloqueou duas tentativas de assassinato de Hitler, diz general russo

Segundo militar, ex-ditador russo temia que sucessor de Hitler firmasse tratado de paz com aliados

Reuters,

25 Maio 2010 | 22h28

MOSCOU- O ex-ditador soviético Josef Stalin bloqueou duas tentativas de assassinar Adolf Hitler durante a II Guerra Mundial, temendo que o sucessor na liderança nazista fizesse as pazes com os aliados ocidentais, disse nesta terça-feira, 25, um alto general russo.

 

Um plano para atacar o bunker de Hitler em 1943 e outro do ano seguinte que envolvia um assassino que tinha ganhado a confiança do nazista foram cancelados por ordens de Stalin, afirmou o general Anatoly Kulikov em uma coletiva de imprensa.

 

"Um plano para assassinar Hitler em seu bunker foi desenvolvido, mas Stalin repentinamente o cancelou em 1943 por temores de que após a morte de Hitler, seus associados concluíssem um tratado de paz separado com o Reino Unido e os Estados Unidos", disse Kulikov, segundo a agência russa de notícias RIA.

 

Em 1944 os soviéticos novamente planejaram matar Hitler após um assassino em potencial ter conseguido ganhar a confiança do líder nazista. "Um detalhado plano de assassinato foi preparado, mas Stalin o cancelou novamente", revelou Kulikov.

 

Hitler cometeu suicídio em 30 de abril de 1945, enquanto as forças soviéticas se aproximavam de Berlim, colocando um fim à guerra na Europa e desencadeando o cenário da Guerra Fria entre a Rússia e o Ocidente.

 

Estima-se que 27 milhões de cidadãos russos morreram na guerra contra a Alemanha nazista entre 1941 e 1945.

 

Kulikov foi ministro do Interior da Rússia entre 1995 e 1998 sob o governo do presidente Boris Yeltsin, e disse que o Clube dos Líderes Militares, o qual lidera, incluiria os detalhes das tentativas de assassinato em um próximo livro sobre a II Guerra Mundial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.