Acusados pelo 11/9 vão criticar política dos EUA

Os cinco homens que enfrentarão julgamentos pelos atentados de 11 de Setembro de 2001 nos Estados Unidos irão se declarar inocentes e fazer críticas à política externa dos EUA, disse hoje o advogado de um dos acusados. Scott Fenstermaker, o advogado de Ali Abd al-Aziz Ali, disse que os homens não negarão o papel que tiveram nos ataques de 2001, mas "explicarão o que aconteceu e porque eles fizeram o que foi feito".

AE-AP, Agencia Estado

22 Novembro 2009 | 18h35

O Departamento de Justiça dos EUA anunciou, no começo deste mês, que Ali e os outros quatro acusados pelos ataques enfrentarão um julgamento civil em Nova York, a apenas algumas quadras de onde ficavam as duas torres do World Trade Center (WTC) que eles ajudaram a destruir. Quase três mil pessoas foram mortas nos atentados.

Ali, também conhecido como Ammar al-Baluchi, é sobrinho do mentor confesso dos atentados, Khalid Sheik Mohammed, também acusado. O advogado Fenstermaker disse que os cinco irão explicar "a avaliação deles sobre a política externa norte-americana, a qual é negativa".

Mais conteúdo sobre:
EUA 11 de setembro terroristas julgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.