Scott Clause/The Daily Advertiser via AP
Scott Clause/The Daily Advertiser via AP

Afetados por Irma enfrentam tráfego e falta de gasolina no retorno à Flórida

Moradores do sul do Estado já começaram a voltar para casa e têm enfrentado dificuldades nas estradas; autoridades turísticas de Flórida Keys informaram que arquipélago ficará fechado para turistas e visitantes até a conclusão de recuperação do local

O Estado de S.Paulo

13 Setembro 2017 | 09h52

MIAMI - Os moradores da Flórida que começaram a voltar para o sul Estado na terça-feira após o êxodo em massa provocado pelo furacão "Irma" na semana passada e tiveram que enfrentar estradas congestionadas, rotas fechadas e postos de gasolina sem combustível.

Tal como se observa nas redes sociais e nos mapas de tráfego, o retorno para quem se aventura nas estradas não é um caminho livre de obstáculos, cenário previsto por outros que decidiram esperar para voltar para casa.

O site FL511, operado pelo Departamento de Transporte da Flórida (FDOT), contabiliza mais de 20 estradas fechadas ou com incidentes ao longo do território continental da Flórida em razão dos danos provocados pelo furacão "Irma".

Em sua conta no Twitter, o FDOT informou, por exemplo, que a estrada interestadual I-75, na direção sul, e a I-10, no sentido leste, apresentam "tráfego pesado" e sugere aos motoristas que não retornem aos seus lares até que as autoridades locais recomendem.

Meios de comunicação locais também dão conta do fechamento de alguns postos de gasolina, apesar de a Turnpike Orlando, entidade oficial que supervisiona as estradas na área de Orlando, no centro do Estado, ter afirmado já na terça-feira que todos os postos neste setor estavam abertos e dispunham de combustível, ainda que limitado somente a veículos.

A conta oficial do Twitter da Patrulha de Estradas da Flórida mostra imagens de patrulheiros deste corpo policial escoltando caminhões-tanque de gasolina com destino aos postos das estradas estaduais.

Da mesma maneira, o governador da Flórida, Rick Scott, disse que os três principais portos do Estado, Everglades, Canaveral e Panama City, receberam autorização da Guarda Costeira para voltar a operar, o que permitirá o atendimento a clientes e distribuição de combustível.

Pouco antes da chegada do poderoso furacão Irma, mais de 6,5 milhões de moradores da Flórida receberam uma ordem de deixar o sul do Estado perante o perigo de inundações, e isso originou um êxodo para o norte sem precedentes, que motivou congestionamentos de veículos pelas principais estradas, o que se estendeu até a Estados vizinhos como a Geórgia. 

Turismo

As autoridades turísticas de Flórida Keys, onde no domingo passado Irma tocou terra como furacão de categoria 4, informaram que não permitirão a chegada de turistas e visitantes até que terminem as tarefas de recuperação.

Segundo um comunicado do escritório do Conselho de Desenvolvimento Turístico do Condado de Monroe, onde fica o arquipélago de Flórida Keys, estas ilhas permanecerão fechadas aos visitantes até que as "tarefas de avaliação dos danos e restauração de energia, água, comunicações e infraestruturas sejam finalizadas".

A passagem para os residentes e donos de negócios nas ilhas mais setentrionais foi aberta na terça-feira, enquanto que as autoridades pedem aos visitantes que "adiem qualquer plano de curto prazo" no condado de Monroe.

Ainda que se desconheça a data exata de reabertura de todas as ilhas, o comunicado do escritório de promoção turística aponta que é provável que seja autorizado o acesso aos visitantes antes da comemoração do Fantasy Fest, festival anual de fantasias que começará no dia 20 de outubro. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.