Agências humanitárias apressam ajuda ao povo afegão

A Cruz Vermelha Internacional afirmou hoje ter retomado a distribuição de alimentos para outra região afegã controlada pelo Taleban, enquanto as agências da ONU disseram que estão procurando novos meios para obter suprimentos que seriam distribuídos antes do inverno à população que vive nas áreas remotas do país. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha anunciou ter distribuído rações de alimentos suficientes para seis semanas para 35 mil pessoas em Mazar-i-Sharif, no norte do Afeganistão. A maioria dos beneficiários é de refugiados que não chegaram a deixar o país, mas abandonaram suas cidades e regiões de origem, se movimentando dentro do país. A maior parte deles fugiu da seca e dos confrontos entre o Taleban e a Aliança do Norte, grupo que faz oposição ao regime. Na semana passada, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha também enviou um comboio para Cabul, a capital, que está sob o controle do Taleban, e continua mandando ajuda humanitária às áreas dominadas pela Aliança do Norte. Campanha aérea O Programa Mundial da Fome (WFP), por sua vez, quer começar uma campanha humanitária via aérea, tão logo seja possível. "Existem cerca de 100 mil famílias isoladas em algumas regiões do Afeganistão", disse a porta-voz do WFP, Christiane Berthiaume. Segundo ela, a agência não pode começar a campanha sem ter a permissão das autoridades talebans, sem a qual não há corredores aéreos seguros. Já o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), que já retirou todos os funcionários estrangeiros do Afeganistão, anunciou temer que milhares de crianças possam morrer no país, à medida que o inverno se aproxima. O chefe do Unicef no Afeganistão, Eric Laroche, revelou serem necessários US$ 36 milhões para os próximos seis meses. "Mesmo assim, isto não vai ser suficiente", acrescentou. Onze milhões dos cerca de 24 milhões de habitantes do Afeganistão têm menos de 18 anos.

Agencia Estado,

05 Outubro 2001 | 15h57

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.