Alemanha começa a celebrar queda do Muro de Berlim

Com orações, música e pompa, a Alemanha deu início nesta manhã às celebrações do 20º aniversário da queda do Muro de Berlim, evento que desencadeou a reunificação do país em uma questão de poucos meses depois de décadas de separação.

AE-AP, Agencia Estado

09 Novembro 2009 | 09h46

A chanceler Angela Merkel, primeira líder do país reunificado a ter nascido na Alemanha Oriental, começou o dia ao lado do presidente Horst Koehler e de outros líderes em cerimônia religiosa em uma antiga igreja de Berlim Oriental, diante da qual ocorreram manifestações de oposição do regime comunista em 1989. "Nós nos lembramos das lágrimas de alegria, dos rostos de satisfação, da libertação", declarou o bispo luterano Wolfgang Huber aos presentes na Igreja Gethsemani.

Uma série de shows, concertos e cerimônias está prevista para esta segunda-feira. As 136 pessoas mortas enquanto tentavam atravessar para Berlim Ocidental serão lembradas nos eventos de hoje. À noite, dezenas de milhares de pessoas são esperadas em frente ao Portão de Brandemburgo, que simbolizou tanto a separação quanto a reunificação da Alemanha.

Mais conteúdo sobre:
Alemanha Muro de Berlim queda celebração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.