Aliados pedem aos EUA que poupem a população civil

A oposição afegã solicitou, nesta quarta-feira, aos Estados Unidos que evite as vítimas civis durante a campanha militar contra o regime dos talebans. O ministro das Relações Exteriores da oposição afegã (Frente Unida), Abdullah Abdullah, disse que os bombardeios contra as posições talebans provocaram uma grande dor na população, que já sofria sob o domínio dos "terroristas". "É preciso prestar mais atenção para evitar as vítimas civis", afirmou Abdullah durante uma entrevista coletiva. Abdullah disse que a Frente Unida (Aliança do Norte) teve várias confirmações de vítimas civis durante os bombardeios e acrescentou que muitas pessoas ficaram feridas e morreram nas cidades de Kandahar e Jalalabad. A ONU confirmou, nesta quarta-feira, que um bombardeio norte-americano atingiu uma mesquita afegã dentro de uma área militar, além de um vilarejo próximo, durante o ataque à cidade de Herat, dias atrás. Segundo a porta-voz da ONU em Islamabad, Stephanie Bunker, a mesquita estava dentro de uma área militar, assim como também o edifício atingido - segundo o Pentágono, um asilo; de acordo com os talebans, um hospital. Nesta terça-feira, os EUA admitiram ter atacado por engano um asilo em Herat e que muitos civis morreram. De acordo com Stephanie Bunker, desde que os bombardeios anglo-norte-americanos começaram, há 18 dias, 70% da população das cidades de Herat (oeste), Jalalabad (leste) e Kandahar (sudeste, quartel-general dos talebans) foi obrigada a fugir. Leia o especial

Agencia Estado,

24 Outubro 2001 | 19h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.