Ambientalista queniana é a vencedora do Nobel da Paz

A vice-ministra do Meio Ambiente queniana Wangari Maathai é a vencedora do Prêmio Nobel da Paz deste ano. O anúncio foi feito nesta manhã, em Oslo, na Noruega. Wangari foi premiada por sua contribuição ao desenvolvimento sustentável, à democracia e a paz. Ela liderou o Movimento Cinturão Verde, que plantou mais de 30 milhões de árvores na África. Seu nome não figurava entre os favoritos. A ambientalista é a 12ª mulher a ganhar o Nobel da Paz e a primeira mulher africana. Outros seis africanos já foram premiados. O prêmio, no valor de US$ 1,3 milhão, será entregue em 10 de dezembro, aniversário da morte de seu fundador, o industrial sueco Alfred Nobel. O Nobel da Paz de 2004 bateu o recorde de indicações: 194. Em entrevista à TV estatal norueguesa, Wangari comentou que estava muito surpresa com a premiação. "Eu estou muito lisonjeada e emocionada. Eu realmente não esperava por isso", disse. "O meio ambiente é muito importante para a paz porque, quando nós destruímos nossos recursos e eles ficam escassos, nós lutamos por eles", acrescentou a ambientalista, com os olhos lacrimejantes.

Agencia Estado,

08 Outubro 2004 | 07h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.