REUTERS/Edgard Garrido
REUTERS/Edgard Garrido

Antes do muro, EUA começam a construir nova embaixada no México

Obra deve ficar pronta em 2022 e está sendo realizada pela empreiteira americana Caddell Construction, uma das seis empresas que apresentaram um protótipo para a barreira que Trump pretende erguer na fronteira

O Estado de S.Paulo

14 Fevereiro 2018 | 13h50

CIDADE DO MÉXICO - Os EUA começaram na terça-feira 13 a construir uma nova embaixada de US$ 943 milhões na Cidade do México, uma medida saudada por autoridades de ambos os países como uma vitória da diplomacia após meses de tensão em razão do plano do presidente americano, Donald Trump, de construir um muro na fronteira.

+ Trump sanciona acordo orçamentário e encerra paralisação do governo

Autoridades se reuniram para uma cerimônia que marcou o início da construção da grande embaixada, que ficará próxima do quartel-general do homem mais rico do México, Carlos Slim, e deve ficar pronta em 2022.

+ Filhos de imigrantes ilegais pressionam Donald Trump

Na cerimônia, a embaixadora dos EUA, Roberta Jacobson, enfatizou a importância do relacionamento bilateral com os mexicanos. “O México é um dos parceiros mais próximos e mais valiosos dos EUA”, disse.

A empreiteira americana Caddell Construction, encarregada da obra da embaixada, foi uma das seis empresas que apresentaram um protótipo para o muro planejado por Trump.

A retórica e as políticas do republicano acirraram ainda mais as tensões entre os dois países. Trump tem usado o debate sobre a proteção dos chamados “dreamers” - imigrantes que foram levados aos EUA quando crianças -, que incluem centenas de milhares de mexicanos, da deportação como moeda de troca para obter fundos para o projeto do muro.

Em 2017, o jornal mexicano Reforma noticiou equivocadamente que o projeto da nova embaixada havia sido adiado por tempo indeterminado. Embora a reportagem de março tenha se mostrado errada, foi um indício do clima tenso dos primeiros meses de Trump na Casa Branca. / REUTERS

Reveja: Muro de Trump é queimado no carnaval de Veracruz

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.