Antraz está causando pânico, diz governo da Argentina

O ministério da Saúde argentino disse neste sábado que a confirmação da presença da bactéria do antraz em um envelope enviado de Miami ao país gerou pânico. "O pânico está criado", disse o ministro da Saúde, Héctor Lombardo, ressaltando que o pânico é exatamente o efeito buscado por uma ação bioterrorista desse tipo, "além do risco" de contágio por essa enfermidade. A bactéria do antraz chegou em um envelope endereçado a uma mulher cujo nome não foi divulgado, e que não contraiu a infecção. Ela disse ter desconfiado do envelope por ter um decalque dizendo: "Esta correspondência é confidencial e contém material que só pode ser aberto pelo destinatário". Segundo as autoridades sanitárias, o envelope era procedente de uma empresa de promoções turísticas de Miami cujo nome, segundo os jornais deste sábado, é Carnival. Em Paris, na França, testes de laboratório em um pacote contendo um pó branco suspeito que havia sido enviado à Assembléia Nacional francesa revelaram que a substância era inofensiva, disse um comunicado oficial emitido hoje. O comunicado diz que o conteúdo do envelope - encontrado na quinta-feira, endereçado simplesmente à "Assembléia Nacional"- foi submetido a análises em dois laboratórios diferentes.Leia o especial

Agencia Estado,

20 Outubro 2001 | 15h13

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.