AFP PHOTO / POOL / HANNAH MCKAY
AFP PHOTO / POOL / HANNAH MCKAY

Ao 96 anos, príncipe Philip de Edimburgo se aposenta como consorte real

Depois de 22.219 compromissos individuais, 637 visitas ao exterior e 5.496 discursos, marido da rainha Elizabeth II - famoso por seu senso de humor polêmico e às vezes inoportuno - fez hoje sua última aparição pública oficial em desfile da Marinha Real

O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2017 | 16h42

LONDRES - O príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II da Inglaterra, se aposentou da vida pública nesta quarta-feira, 2, aos 96 anos, fazendo a revista de uma unidade militar no Palácio de Buckingham.

Usando uma capa de chuva marrom e um chapéu-coco preto, o duque de Edimburgo, que tem o recorde de longevidade de todos os consortes ingleses, assistiu a um desfile da Marinha Real - o príncipe serviu à Marinha durante a 2ª Guerra.

Algumas centenas de cidadãos assistiram a cerimônia das grades de proteção do palácio, debaixo de chuva. A aposentadoria de Philip foi anunciada em maio, um mês antes de seu aniversário de 96 anos, comemorado em 10 de junho.

O príncipe, famoso por seu senso de humor polêmico e às vezes inoportuno, esteve durante décadas ao lado de sua esposa Elizabeth II, apoiando-a desde que chegou ao trono em 1952. "É uma mistura de comicidade e rigor", declarou o seu biógrafo, Gyles Brandreth, à rádio BBC 4.

Em sua carreira como consorte, o príncipe Philip cumpriu com 22.219 compromissos individuais, 637 visitas oficiais ao exterior e fez 5.496 discursos, segundo as estatísticas compiladas pelo Palácio de Buckingham.

De acordo com um porta-voz do Palácio, o príncipe poderá participar pontualmente de alguns compromissos com a rainha. "Meu primeiro, meu segundo e definitivo emprego é estar sempre junto à rainha", disse há alguns anos.

Mais tempo livre

"É um homem que sempre colocou o seu país antes de qualquer outra coisa", destacou o jornal Daily Telegraph em seu editorial. O príncipe Philip também é padrinho de 785 organizações, que continuará apoiando, apesar de estar aposentado.

Após o anúncio de que o consorte deixava a vida pública, o Palácio assegurou que a decisão não tinha a ver com questões de saúde - no último Natal, rainha e seu marido deixaram de participar de vários eventos em razão de uma gripe.

Em junho, o príncipe Philip foi hospitalizado durante duas noites para tratar de "uma infecção relacionada a uma patologia [já] existente". Um assistente da Família Real assinalou que o Philip estava "impaciente para poder aproveitar a partir de agora o seu tempo livre".

A rainha, decana dos monarcas aos 91 anos, também diminuiu as suas aparições públicas, embora sempre tenha se declarado terminantemente contra a possibilidade de abdicar ao trono.

Seu filho, o príncipe Charles, a representa cada vez mais nas viagens ao exterior, auxiliado por seus filhos, William e Harry.

As bodas de platina de Elizabeth II, no entanto, podem ser uma oportunidade para que o consorte volte a participar em um ato público, para comemorar o 70º aniversário de seu casamento, em 20 de novembro, na Abadia de Westminster.

Apesar da diferença entre a característica discreta da rainha Elizabeth II e a expressividade de seu marido, os dois sempre mostraram uma unidade que os tornou "um dos casais mais queridos da história britânica", segundo The Telegraph.

"Lamentaremos a sua ausência, mas a aposentadoria está garantida", comentou William Cook, um aposentado de 89 anos que compareceu à despedida do príncipe consorte. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.