YAMIL LAGE / AFP
YAMIL LAGE / AFP

Após encontrar Fidel, frei Betto diz que o líder cubano está com a saúde 'cada vez melhor'

Teólogo brasileiro recebeu o título de doutor honoris causa na Universidade de Havana e elogiou o 'heroico povo' de Cuba 

O Estado de S. Paulo

13 Outubro 2015 | 09h21

HAVANA - O teólogo e frade dominicano Frei Betto esteve reunido com o líder cubano Fidel Castro no domingo 11 antes de ser nomeado doutor honoris causa pela Universidade de Havana. "A última vez que lhe vi foi ontem pela tarde e tenho que dizer que cada vez que vou visitá-lo o vejo melhor de saúde", afirmou Betto sobre Fidel.

A frase foi dita durante o ato na universidade, realizado segunda-feira 12, quando o teólogo fez menção a sua amizade com o líder cubano. Betto é autor do livro "Fidel e a religião" (1985), baseado em entrevista de mais de 20 horas na qual o então presidente de Cuba falou sobre sua formação pessoal e sua visão da religião.

O brasileiro disse sentir-se "muito honrado" de receber a distinção em Cuba "do heroico povo cubano", com o qual convive há 35 anos, já que visita a ilha habitualmente. A última vez foi em setembro, data da histórica visita do papa Francisco à ilha.

De fato, no encontro de Fidel Castro com o pontífice no mesmo mês, o cubano presenteou o papa com o livro de Betto.

"Em muitas academias prestigiadas do mundo se prepararam as pessoas que depois foram os criadores da bomba atômica e as demais armas nucleares, mas destas salas de aula saíram homens como Fidel Castro e outros que fizeram uma revolução socialista em nosso continente", afirmou Betto em seu discurso de agradecimento.

O ato foi presidido pelo primeiro vice-presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, e o reitor da Universidade de Havana, Gustavo Cobreiro. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.