Ataque a Faluja massacra família, diz vizinho; EUA negam

Fuzileiros navais americanos destruíram um importante centro de comando rebelde e diversos refúgios de combatentes na cidade de Faluja. Testemunhas alegam que outro bombardeio eliminou uma família de seis pessoas. Jatos americanos, usando "munições de precisão", destruíram o posto de comando localizado no norte de Faluja durante o ataque, de acordo com informações prestadas pela Primeira Força Expedicionária de Fuzileiros. O posto rebelde era subterrâneo, segundo as informações. Mais tarde, em dois ataques separados, foram alvejados os chamados "refúgios da rede de Zarqawi", numa referência ao grupo terrorista ligado ao jordaniano Abu Musab al-Zarqawi. Além disso, testemunhas dizem que uma família de seis pessoas foi morta quando jatos americanos dispararam foguetes contra uma casa. O casal e os quatro filhos haviam voltado para casa depois de uma semana fora, disse um vizinho. Dez minutos mais tarde, um foguete atingiu o Instituto Preparatório de Professoras, mas não explodiu. Militares americanos negam o massacre da família e o ataque à escola, dizendo que "fontes de inteligência indicam que um propagandista de Zarqawi vem passando informes falsos para a mídia".

Agencia Estado,

20 Outubro 2004 | 14h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.