Ataque em mercado no Paquistão mata ao menos 12

Um ataque suicida com bomba matou o prefeito de um vilarejo anti-Taliban e outras 11 pessoas no domingo perto da cidade de Peshawar, no Paquistão, informaram autoridades.

FARIS ALI, REUTERS

08 Novembro 2009 | 09h36

O suicida explodiu-se quando Abdul Malik, prefeito do vilarejo de Matni, estava visitando um mercado lotado de pessoas e animais sendo vendidos para o festival muçulmano de Eid al-Adha.

"Doze pessoas foram mortas, incluindo uma criança de quatro anos, e 36 pessoas ficaram feridas", disse à Reuters Mohammad Mukhtar, médico no principal hospital público de Peshawar.

Matni fica perto das terras ilegais onde militantes islâmicos são ativos. Eles iniciaram uma campanha de ataques suicidas e a bomba no Paquistão nas últimas semanas em retaliação a uma ofensiva lançada pelas forças de segurança em seu principal bastião, na fronteira afegã.

O exército informou no domingo que 20 militantes foram mortos na última batalha por lá, levando o total de mortes desde que a ofensiva começou para 478.

No mesmo período, 44 solados foram mortos, segundo dados militares.

Não há uma checagem independente das vítimas, já que jornalistas e outros observadores independentes não são permitidos na zona de guerra.

Mais conteúdo sobre:
PAQUISTAO ATAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.