1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Ataques israelenses matam pelo menos 20 em Gaza

Estadão Conteúdo

20 Agosto 2014 | 14h 13

Militantes palestinos lançaram nesta quarta-feira dezenas de foguetes contra Israel, que respondeu com ataques aéreos que deixaram pelo menos 20 palestinos mortos e mais de 120 feridos desde o fim da trégua na terça-feira, segundo informações de Ashraf al-Kidra, que trabalha para o Ministério da Saúde de Gaza.

Um dos ataques israelenses parece ter tido como alvo Mohammed Deif, chefe militar do Hamas, que já escapou de várias tentativas de assassinato feitas por Israel. Sami Abu Zuhri, porta-voz do grupo militante, afirmou à emissora de televisão Al-Aqsa, do Hamas, que Deif não estava no local no momento do ataque a sua casa, em Gaza. Cinco pessoas que estavam na residência morreram, dentre elas a mulher de Deif e seu filho, disseram fontes do Hamas.

Israel não comentou formalmente o ataque, mas meios de comunicação locais citaram uma autoridade local afirmando, em condição de anonimato, que o alvo era Deif.

Os combates foram retomados na noite de terça-feira, quando militantes de Gaza dispararam foguetes contra cidades israelenses antes do fim da trégua temporária, o que levou Israel e retirar sua delegação do Cairo e lançar ataques aéreos em retaliação.

O Exército israelense disse ter realizado cerca de 100 ataques contra Gaza e afirmou que os palestinos dispararam mais de 140 foguetes contra o território israelense desde o fim da trégua. Cerca de 2 mil reservistas que haviam sido mandados para casa duas semanas atrás foram reconvocados nesta quarta-feira, informaram militares.

Mais de 2 mil palestinos, a maioria civis, foram mortos desde o início dos combates, em 8 de julho, segundo autoridades palestinas e da Organização das Nações Unidas (ONU), e dezenas de milhares deixaram suas casas. Do lado israelense, as baixas incluem 64 soldados, dois civis e um trabalhador tailandês.

O Exército de Israel também disse ter atacado dois militantes palestinos depois de eles terem disparado foguetes contra o território israelense no início da tarde desta quarta-feira. Segundo o Crescente Vermelho palestino, os dois morreram. Pouco depois, um foguete disparado de Gaza atingiu uma casa no sul de Israel, provocando danos, mas sem deixar feridos.

Também nesta quarta-feira, o Ministério de Relações Exteriores do Egito expressou "profundo pesar" por causa do fim do cessar-fogo e disse em comunicado que "mantém contatos bilaterais" com os dois lados para retomar a calma e garantir uma trégua duradoura que "sirva aos interesses do povo palestino", especialmente em relação a reabertura das passagens de fronteira e da reconstrução" do território costeiro. Fonte: Associated Press.