Ataques matam americano, general e outros 13 no México

Um sargento da Força Aérea dos Estados Unidos foi assassinado com outros cinco homens num ataque de um grupo armado a um bar em Ciudad Juárez, no Estado de Chihuahua, enquanto um general mexicano recentemente nomeado chefe policial de um município no Estado de Nuevo León, também no norte do país, foi morto a tiros com outras quatro pessoas.

AE-AP, Agencia Estado

05 Novembro 2009 | 16h35

Os 70 agentes da força policial do município de García, no Estado de Nuevo León, serão interrogados a respeito da morte do general da reserva do Exército Juan Arturo Esparza, disse o governador de Nuevo León, Rodrigo Medina.

O governador disse que após o atentado da noite de ontem, um contingente de soldados e policiais será enviado para patrulhar o município de García. O ataque ocorreu quando o general e as quatro vítimas iam de automóvel à casa do prefeito Jaime Rodríguez, que havia denunciado uma ameaça de morte.

Já o ataque em Ciudad Juárez aconteceu na madrugada de ontem, na fronteira com o Texas, disse o porta-voz da procuradoria de Justiça, Arturo Sandoval.

A Força Aérea dos Estados Unidos informou que uma das vítimas era o sargento David Booher, que servia numa unidade médica na base de Alamogordo, Estado do Novo México (EUA). Os outros cinco mortos ainda não foram identificados.

Também em Ciudad Juárez, outros quatro homens foram assassinados na saída de uma escola primária. Os corpos ficaram no chão na frente de uma escola, no momento em que as crianças estavam nas classes.

Nos primeiros quatro dias de novembro, 30 pessoas foram assassinadas em Ciudad Juárez, onde as autoridades detectaram uma guerra entre traficantes rivais. De janeiro ao começo de novembro já foram assassinadas no México, em decorrência da violência do narcotráfico, 1.900 pessoas.

Mais conteúdo sobre:
México narcotráfico mortes guerra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.