Ataques que mataram 166 em Mumbai completam 1 ano

Agentes de segurança da Índia fizeram uma demonstração de força hoje, em Mumbai, com o objetivo de afastar possíveis preocupações locais com um novo atentado terrorista. Há exatamente um ano, um ataque a estações de trem e hotéis de luxo deixaram 166 pessoas mortas na cidade. O aniversário do ataque também teve orações, manifestações artísticas, grupos de discussões e discursos políticos emocionados.

AE-AP, Agencia Estado

26 Novembro 2009 | 16h01

Cem assentos para doação de sangue foram instalados no terminal de trem Chhatrapati Shivaji, onde 58 pessoas morreram e outras 104 ficaram feridas. A polícia, criticada pela falta de treinamento e armamento, usou a data para mostrar seu novo arsenal - parte de um plano de segurança estimado em US$ 27,7 milhões.

No entanto, ativistas temem que as melhorias no setor sejam insuficientes para evitar uma nova investida de extremistas. "A polícia não está sendo comandada de uma maneira profissional, mas sim política", afirmou o ex-comissário de polícia Julio Ribeiro.

Na noite de ontem, diplomatas de Canadá, Grã-Bretanha, França, Alemanha, Israel, Itália e dos Estados Unidos participaram de cerimônias para lembrar os mortos de seus respectivos países. Líderes muçulmanos, pársis e cristãos lembraram as vítimas da própria Índia.

Em 26 de novembro de 2008, dez homens sediados no Paquistão chegaram de barco e atingiram vários alvos da cidade indiana, enquanto a polícia e os militares lutaram por quase três dias para retomar o controle de Mumbai. Ontem, sete homens foram acusados no Paquistão por envolvimento com o ataque.

Mais conteúdo sobre:
Índia Mumbai ataques terrorismo aniversário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.