1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Autópsia independente mostra que jovem foi atingido seis vezes

O Estado de S. Paulo

18 Agosto 2014 | 15h 40

Tiro fatal foi dado no topo da cabeça e, segundo legista, deve ter sido o último a ser disparado; quatro outros atingiram o braço

FERGUSON, EUA - Michael Brown, o jovem negro e desarmado que foi morto por um policial, resultando em protestos em todo o país, foi atingido pelo menos sei vezes, incluindo dias vezes na cabeça, de acordo com resultados de uma autópsia independente feita no domingo.

Foto: AFPUma das balas entrou no topo da cabeça de Brown, sugerindo que sua cabeça foi inclinada violentamente para frente, causando um ferimento fatal, segundo Michael M. Baden, ex-chefe legista da cidade de Nova York, que viajou para o Estado do Missouri no domingo a pedido da família para fazer uma autópsia em separado. Provavelmente foi a última bala a atingi-lo.

Brown, de 18 anos, também foi atingido quatro vezes no braço direito, disse ele, acrescentando que todos os tiros foram disparados de frente, disse ele.

Os tiros não parecem ter sido disparados de perto porque nenhum traço de pólvora estava presente no seu corpo. No entanto, essa determinação pode mudar se for concluído que há resíduos de pólvora nas roupas de Brown, às quais o doutor Baden não teve acesso.

O secretário de Justiça, Eric H. Holder, disse no domingo que o Departamento de Justiça conduziria sua própria autópsia, além da feita por oficiais locais e esta privada em razão, segundo um porta-voz do departamento, "das estraordinárias circunstâncias envolvendo este caso e a pedido da família Brown".

Brown morreu no dia 9 em um confronto com um policial no subúrbio de St. Louis. O Departamento de Polícia sofreu duras críticas por se recusar a esclarecer as circunstâncias do tiroteio e ao responder aos protestos com artefatos militares - de uso opcional em casos como este.  / NYT