Mario Tama/AFP
Mario Tama/AFP

Autoridades confirmam uma morte relacionada a incêndios na Califórnia

Mulher de 70 anos foi encontrada com o corpo queimado dentro de um carro em Santa Paula

O Estado de S.Paulo

09 Dezembro 2017 | 02h04

CALIFÓRNIA - Autoridades dos Estados Unidos confirmaram nesta sexta-feira, 8, a primeira morte relacionada aos incêndios que atingem a Califórnia desde o início desta semana. As chamas continuam em seis grandes focos por Los Angeles, Ventura e San Diego, já consumiram fazendas e chegaram em áreas urbanas, atingindo bairros de famosos.

++ Trump declara estado de emergência na Califórnia por incêndios

Uma mulher de 70 anos, identificada como Virginia Pesola, morreu na quarta-feira, 6, ao tentar fugir de um enorme incêndio no sul da Califórnia. Ela foi encontrada dentro do carro, no Wheeler Canyon, em Santa Paula, que caiu durante a fuga. Segundo o médico legista do Condado de Ventura, a causa da morte foi um trauma com força, sem corte, inalação de fumaça e queimaduras.

++ Fortes ventos dificultam controle dos incêndios na Califórnia

De acordo com previsões, o tempo vai continuar desafiando os quase 9 mil bombeiros que atuam para combater as chamas que se espalham rapidamente há cinco dias, desde San Diego até Santa Barbara. Além de uma morte, o fogo já destruiu 500 estruturas, feriu seis pessoas e quatro bombeiros.

++ Fogo consome lucro da maconha na Califórnia

"O clima moderado hoje e os ventos mais sutis permitiram um aumento no número de helicópteros e tanques aéreos que poderiam completar com segurança a missão de jogar água e retardar o fogo, além de realizar tarefas de reconhecimento", informou nesta sexta-feira o Departamento de Bombeiros do Condado de Ventura pelo site. Cerca de 212 mil pessoas foram forçadas a deixar suas casas e esperam em abrigos para ver se as residências resistem aos incêndios. /AP e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.