1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Autoridades investigam motivação de atirador que matou 3 e feriu 14 no Kansas

- Atualizado: 26 Fevereiro 2016 | 11h 49

Na quinta-feira, homem armado com rifle de assalto e uma pistola abriu fogo contra funcionários da empresa em que trabalhava, na cidade de Hesston; 5 feridos estão em estado grave

TOPEKA, EUA - As autoridades do Estado americano do Kansas começaram a investigar nesta sexta-feira a motivação de um homem que abriu fogo dentro da fábrica em que trabalhava em Hesston, matando 3 pessoas e ferindo outras 14 até ser morto por um policial.

As autoridades de segurança de Hesston, cidade de cerca de 3,8 mil pessoas, disseram que o ataque de quinta-feira não foi um atentado terrorista. "Esta é uma situação horrível, meus amigos, simplesmente horrível", disse o xerife do condado de Harvey, T. Walton. 

Policiais analisam arredores da Indústrias Excel, no Kansas, onde homem abriu fogo contra colegas de trabalho

Policiais analisam arredores da Indústrias Excel, no Kansas, onde homem abriu fogo contra colegas de trabalho

Embora muitas das vítimas sejam colegas de trabalho, o suposto agressor pareceu ter atirado a esmo, disse Walton. Cinco dos feridos estão em estado grave.

A matança em Kansas se seguiu a um massacre em Michigan nesta semana, quando um taxista do aplicativo Uber matou seis pessoas a tiros.

A escalada no número de assassinatos com arma de fogo nos Estados Unidos fez a questão do controle de armas ganhar relevância como tema da eleição presidencial de novembro no país.

O atirador de Kansas, que estava armado com um rifle de assalto de calibre .223 e uma pistola, disparou de dentro de seu veículo enquanto passava entre duas cidades, contou o xerife Walton. Depois ele roubou o carro de uma vítima e foi até as Indústrias Excel, onde trabalhava, e atirou em uma pessoa no estacionamento.

O atirador entrou na fábrica, onde deveria iniciar sua jornada de trabalho e onde mais de 100 empregados iniciavam o segundo turno do dia, e abriu fogo contra seus colegas, matando três, disse o xerife. Outros funcionários fugiram em pânico.

O primeiro policial a chegar ao local trocou tiros com o agressor perto da sala de pintura do edifício e o matou, afirmou Walton. Mesmo com o autor dos disparos já abatido, a polícia levou algum tempo para declarar a área como totalmente segura e o campus da Universidade de Hesston, que fica próximo à fábrica, ficou fechado por várias horas após o tiroteio.

O governador do Kansas, o republicano Sam Brownback, ordenou que as bandeiras sejam hasteadas a meio mastro durante esta sexta-feira em luto pelas vítimas e seus familiares. / REUTERS e EFE

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em InternacionalX