1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Avião desaparecido na Ásia pode ter mudado a rota e área de busca é ampliada

Efe

09 Março 2014 | 07h 16

Ministro da Defesa e de Transportes disse que não descarta a possibilidade de um ataque terrorista

As autoridades da Malásia anunciaram neste domingo, 9, que as equipes de resgate ampliaram a área de busca nas águas do Golfo da Tailândia após informarem que o avião da Malaysia Airlines pode ter mudado a rota antes de desaparecer.

 

O ministro da Defesa e de Transportes, Hishammuddin Hussein, disse que as autoridades estudam todas as possíveis razões de uma meia-volta deste tipo, sem descartar a possibilidade de um ataque terrorista.

 

"O desaparecimento do MH370 não é algo que possamos analisar superficialmente e não podemos descartar nenhuma possibilidade. As agências de inteligência de países relevantes foram informadas e compartilharemos a informação à medida que a investigação avançar", disse Hishammuddin.

 

Em entrevista coletiva, autoridades da Aviação Civil e das Forças Armadas malaias disseram que os radares confirmam que o avião realizou essa manobra de giro, mas que não houve nenhuma comunicação do piloto como o protocolo estabelece.

 

Também não foi recebida nenhuma mensagem de alerta ou emergência vinda do avião antes de desaparecer, acrescentaram.

 

Hishammuddin confirmou a presença de manchas de óleo no mar entre Malásia e Vietnã, mas ressaltou que, por enquanto, não foi encontrado nenhum destroço da aeronave.

 

Um avião do Vietnã avistou no sábado à tarde duas manchas de óleo ao sul de Tho Chu que seria compatível com o resíduo que o carburante do avião desaparecido deixaria.

 

As autoridades da Malásia investigam um possível ataque terrorista contra o avião após descobrir que pelo menos dois passageiros viajavam com passaportes falsos e há suspeitas sobre a identidade de pelo menos outros dois.

 

Os passaportes falsos, unido a o avião ter desaparecido em uma área sem problemas meteorológicos, alimentaram as especulações sobre um possível ataque terrorista.

 

"Não nos precipitemos em tirar conclusões e especulações. Estamos olhando todas as possibilidades, mas o principal objetivo agora é encontrar o MH370", insistiu Hishammuddin.

 

Nas tarefas de busca e resgate participam 22 aviões e 40 embarcações de Malásia, Vietnã, Cingapura e Indonésia. 

 

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo