Banco do Japão injeta US$ 22 bi para dar liquidez ao mercado interno

A intenção do primeiro-ministro japonês é aliviar a confusão nos mercados financeiros

Efe

07 Maio 2010 | 03h29

O Banco do Japão (BOJ) anunciou nesta sexta-feira, 7, a injeção de dois trilhões de ienes (cerca de US$ 22,5 bilhões) em uma operação de emergência para dar liquidez ao mercado, confirmaram à agência Efe fontes do próprio Banco.

 

A operação será realizada nesta sexta através de um fundo de garantia em todos seus escritórios no país para facilitar a recuperação na Bolsa, após as quedas motivadas pelos temores sobre a crise de endividamento da Grécia.

 

O índice Nikkei da Bolsa de Valores Tóquio desceu 3% na quinta, e nesta sexta abriu a jornada com perdas de quase 4%, perante os temores sobre a extensão da crise de dívida da Grécia e pelos protestos contra a aplicação do plano de austeridade de Atenas.

 

As empresas japonesas temem que as quedas contínuas do euro frente ao iene afetem seus resultados. A moeda única europeia desceu na abertura do mercado de divisas de Tóquio até 115,47 ienes nesta sexta, contra 119,76 do fechamento de quinta. Na quinta, em Nova York, o euro chegou momentaneamente a seu nível mais baixo desde dezembro de 2001, 110,49 ienes.

 

Em uma iniciativa pouco usual, o primeiro-ministro do Japão, Yukio Hatoyama, disse na sexta que o governo responderá para aliviar a confusão nos mercados financeiros devido à crise da Grécia, informou a agência Kyodo.

 

Hatoyama disse que está "muito preocupado" com a situação, pouco depois que o Nikkei perdeu quase 4% na abertura, influenciado também pelas quedas em Wall Street.

 

O BOJ tomou uma medida similar em 2 de dezembro de 2009, ao injetar um trilhão de ienes no sistema financeiro quando o iene se encontrava muito valorizado frente ao dólar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.