Base na Alemanha planejou atentados, diz Ashcroft

Uma célula terrorista que atuava na cidade alemã de Hamburgo incluía três dos seqüestradores e três cúmplices procurados pelos ataques de 11 de setembro em Nova York e Washington, afirmou, nesta terça-feira, o secretário de Justiça dos EUA, John Ashcroft. Segundo ele, três suspeitos - Said Bahaji, Ramsi Binalshibh e Zakariya Essabar - são procurados por planejar os ataques. As autoridades alemães já teriam emitido pedidos de busca e captura internacionais contra os homens. "Seus vínculos com os seqüestradores dos aviões são amplos", disse Ashcroft durante coletiva em Washington, da qual participou também o ministro do Interior da Alemanha, Otto Schily. O secretário norte-americano acrescentou que os três seqüestradores foram Mohamed Atta e Marwan Al-Shehhi, os supostos pilotos dos aviões seqüestrados que se chocaram contra as torres gêmeas do World Trade Center, e Ziad Jarrah, suspeito de ter pilotado o avião que caiu na Pensilvânia Ashcroft disse que os três seqüestradores viviam juntos em Hamburgo quando estudavam na cidade na década passada. Ele afirmou também que Binalshibh e Atta iniciaram um grupo muçulmano de orações em Hamburgo e que Essabar viajou à Flórida em fevereiro, quando Atta e Al-Shehhi se encontravam neste Estado norte-americano. "É óbvio que Hamburgo foi a base central de operações desses seis indivíduos e de sua participação no planejamento do ataque de 11 de setembro", disse Ashcroft, acrescentando que 12 agentes do FBI foram enviados a vários pontos da Alemanha para ajudar nas investigações. Leia o especial

Agencia Estado,

23 Outubro 2001 | 18h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.