REUTERS/Yannis Behrakis
REUTERS/Yannis Behrakis

Bebê de 4 dias é resgatado no Mediterrâneo

Recém-nascido estava com os pais, uma mulher nigeriana e um homem de Gana, em bote que naufragou pouco depois de deixar a cidade de Sabratha, na Líbia

O Estado de S.Paulo

02 Abril 2017 | 18h46

ROMA - Um bebê de quatro dias foi um dos 480 imigrantes resgatados por navios humanitários no sábado durante missões de busca e resgate no Mar Mediterrâneo. O bebê viajava em um dos dois botes de borracha que carregavam mais de 200 imigrantes do Norte e do Centro da África, do Sri Lanka e do Iêmen e naufragaram 22 milhas náuticas da cidade de Sabratha, na Líbia, o ponto de partida mais usado pelos traficantes de pessoa no país.

A operação foi conduzida pela ONG espanhola Proactiva Braços Abertos e durou três horas. Os imigrantes foram transferidos para um barco que chegou à cidade portuária de Augusta, na Sicília, na tarde de ontem.

Os outros imigrantes resgatados, que estavam a bordo de outros dois botes de borracha, foram resgatados pela equipe do navio de suprimentos Vos Prudence, disse um porta-voz da Guarda Costeira. Eles devem chegar hoje à Itália, mas o destino ainda é desconhecido, acrescentou a autoridade marítima.

“Uma semana atrás eu recolhi um corpo do Mediterrâneo pela primeira vez, e (sábado) eu carreguei uma nova vida”, disse Daniel Calvelo, de 26 anos, que transferiu o bebê do bote para o barco.

A mãe do bebê, uma nigeriana de 29 anos, e seu marido, um trabalhador de Gana de 34 anos, também foram resgatados. Eles viveram na Líbia por dois anos e decidiram partir para a Europa após terem o filho. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Mar Mediterrâneo Líbia ONG Itália Gana Europa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.