Bin Laden nega responsabilidade pelos atentados

Osama bin Laden acredita que os ataques terroristas de 11 de setembro em Nova York e Washington foram "uma conspiração" de Israel e dos serviços secretos norte-americanos, e nega qualquer responsabilidade nos atentados, segundo informações da agência de notícias ANSA . Bin Laden teria dito ao jornal semanal paquistanês Takbir, publicado em idioma urdu, que "os judeus norte-americanos não deveriam esquecer que o sucesso de George W. Bush incomodou-os e que nos Estados Unidos existem muitas agências secretas que recebem enormes recursos do governo". Bin Laden teria afirmado ainda que "os judeus conspiraram para pôr as mãos sobre esses recursos e assim colocaram sob mira o World Trade Center e o Pentágono, e conseguiram garantir este dinheiro. Depois dos ataques, o governo destinou US$ 40 bilhões para essas agências". Depois de negar qualquer responsabilidade nos atentados, o milionário saudita teria lembrado que "o Islã proíbe matar pessoas inocentes" e "nem eu nem nenhum de meus companheiros ousaríamos violar os ensinamentos do Islã". Leia o especial

Agencia Estado,

11 Outubro 2001 | 14h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.