Blair rechaça convocação do Parlamento

O primeiro-ministro britânico, Tony Blair, cujo governo enfrenta um terremoto político pela morte do cientista David Kelly, rechaçou hoje o pedido da oposição de convocar o Parlamento para discutir o caso. Blair, que está em viagem à Ásia - hoje chegou a Seul, Coréia do Sul, depois de ter visitado o Japão - , declarou ser desnecessária uma nova convocação do Parlamento, o que, segundo ele, causaria "mais febre que claridade". "Creio que deve haver um período de reflexão, um período que permita ao juiz realizar sua investigação e que dê tempo à família Kelly de concentrar-se em sua dor", afirmou o premier britânico.

Agencia Estado,

20 Julho 2003 | 12h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.