Robert Carrubba/Reuters
Robert Carrubba/Reuters

'Boinas azuis' na República Democrática do Congo são acusados de abuso sexual

As investigações devem ser concluídas em um prazo de 90 dias devido à gravidade dos supostos acontecimentos

EFE

12 Fevereiro 2018 | 18h10

NOVA YORK - A ONU informou nesta segunda-feira, 12, que recebeu acusações de abusos sexuais contra vários "boinas azuis" sul-africanos mobilizados na República Democrática do Congo.

Segundo a organização, há três supostos casos de "exploração sexual" registrados na região do Kivu do Norte e um deles inclui uma reivindicação de paternidade.

O Fundo de População das Nações Unidas está em contato com as vítimas, todas maiores de idade, para garantir que recebam ajuda imediata, explicou aos jornalistas o porta-voz Stéphane Dujarric. Além disso, a missão da ONU no país (MONUSCO) oferecerá assistência, incluindo a coleta de amostras de DNA.

+++ Quinze soldados da ONU são mortos em ataque na República Democrática do Congo

Junto às acusações de abusos sexuais, a organização divulgou nesta segunda-feira que recebeu uma denúncia de violência por parte de "boinas azuis" contra um jovem de 17 anos em Kasai Oriental, também na República Democrática do Congo.

Dujarric explicou que a ONU informou à África do Sul sobre essas acusações e pediu ao país que forme uma equipe de investigação em um prazo de cinco dias. As investigações devem ser concluídas em um prazo acelerado de 90 dias devido à gravidade dos supostos acontecimentos.

"As Nações Unidas estão muito preocupadas com estas alegações apesar dos esforços em parceria com os Estados-membros para evitar e responder a abusos e exploração sexual e má conduta", disse o porta-voz. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.