Lourival Sant’Anna / Estadão
Lourival Sant’Anna / Estadão

Bolívia lembrará 50 anos da morte de Che Guevara com ato popular em outubro

Evento será realizado no local onde foram encontrados em 1997 os restos do guerrilheiro argentino-cubano

O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2017 | 10h56

LA PAZ - O governo da Bolívia está organizando um grande ato popular que será realizado em outubro no local onde foram encontrados em 1997 os restos do guerrilheiro argentino-cubano Ernesto Che Guevara, para lembrar os 50 anos da sua morte.

O evento, que será o principal de uma agenda de atividades que começará no dia 5 de outubro, acontecerá quatro dias depois do início das homenagens no aeroporto da cidade de Vallegrande, na região de Santa Cruz, segundo disse à emissora de rádio estatal o vice-ministro de Coordenação com Movimentos Sociais, Alfredo Rada.

"Com este ato de massas no aeroporto de Vallegrande, mostraremos que na Bolívia o pensamento de Che, sua obra e seu legado são mantidos vivos e nós seguimos o exemplo de Che além do tempo que transcorreu desde sua morte", declarou Rada.

O ministro boliviano lembrou que os restos mortais do guerrilheiro foram encontrados em 1997 em uma vala comum situada ao lado da pista do terminal aéreo.

+ Veja um perfil de Che Guevara no Acervo do "Estado"

Segundo Rada, no dia 5 de outubro começará uma série de eventos em Vallegrande, incluindo "mesas de debate, exposições sobre a vida e obra de Che e um festival de cinema". Para o dia 8, está previsto um ato no vilarejo de La Higuera, vizinho de Vallegrande, onde o guerrilheiro foi executado pelo Exército boliviano em 9 de outubro de 1967.

Che foi capturado um dia antes na Quebrada del Churo e, após a execução, seu corpo foi levado até Vallegrande. Os restos do guerrilheiro e de outros combatentes permaneceram escondidos durante 30 anos perto de uma pista de aterrissagem de Vallegrande e foram encontrados em 1997, quando foram enviados a Cuba.

O presidente boliviano, Evo Morales, anunciou no fim de semana que os filhos de Che irão à Bolívia para participar das homenagens. Segundo o líder, também está prevista a participação de "alguns vice-presidentes e líderes socialistas latino-americanos". / EFE

Mais conteúdo sobre:
Bolívia [América do Sul] Che Guevara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.