REUTERS/Ivan Alvarado
REUTERS/Ivan Alvarado

Bolsa de Santiago sobe 6,2% com vitória de Piñera no Chile

Conservador venceu Alejandro Guiller, de centro-esquerda, obtendo 54% dos votos contra 46% do rival

O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2017 | 11h47

SANTIAGO - O principal índice da Bolsa de Valores de Santiago, o IPSA, subiu 6,20% na abertura do pregão desta segunda-feira, 18, impulsionado pela vitória do conservador Sebastián Piñera no segundo turno das eleições do Chile

+ ‘Piñera tomou o leite antes de ordenhar a vaca’, afirma especialista

Piñera venceu Alejandro Guiller, de centro-esquerda, obtendo 54% dos votos contra 46% do rival. Guillier, de 64 anos, reconheceu que sofreu uma “derrota dura”, parabenizou o bilionário pela vitória e pediu que ele continue as reformas iniciadas pela presidente Michelle Bachelet. Piñera tomará posse no dia 11 de março. 

“Uma vez mais o povo chileno decidiu pelo voto popular seu destino. Quero, esta noite, felicitar ao meu adversário, Sebastián Piñera, o novo presidente da república, a quem já telefonei para felicitar por seu impecável e maciço triunfo”, declarou o senador.  

A votação nas 43 mil mesas e 1.963 colégios eleitorais foi encerrada ontem às 18 horas (19 horas em Brasília). A imprensa chilena registrou uma série de incidentes. No Estádio Nacional, em Santiago, um dos locais de votação, 35 das 197 mesas não estavam instaladas uma hora após a abertura dos portões, segundo o jornal La Tercera. No entanto, não houve relatos de tumultos.

Piñera votou às 10 horas, no horário local. Mais cedo, ele havia divulgado uma foto tomando café da manhã com a família, agradecendo o apoio dos eleitores durante a campanha. Guillier também se deixou fotografar tomando café em sua casa, em Antofagasta, norte do Chile, e votou por volta de 10h30, no horário local. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.