Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Internacional

Internacional » Buscas por 'como se mudar para o Canadá?' disparam no Google após Superterça

Internacional

Cláudia Trevisan / Estadão

Internacional

EUA

Buscas por 'como se mudar para o Canadá?' disparam no Google após Superterça

O jornalista Simon Rogers, que é integrante do Laboratório de Notícias do Google (Google News Lab), alertou na noite em sua conta no Twitter que as buscas sobre a mudança para o Canadá aumentaram em 350%, dado que aumentou posteriormente em em 1.150%

0

O Estado de S. Paulo

02 Março 2016 | 19h19

SAN FRANCISCO - As buscas por "Como se mudar para o Canadá?" dispararam no Google após as eleições primárias realizadas na terça-feira em 12 Estados dos EUA, nas quais a democrata Hillary Clinton e o republicano Donald Trump comprovaram o favoritismo para conseguir as respectivas indicações de seus partidos.

O jornalista Simon Rogers, que é integrante do Laboratório de Notícias do Google (Google News Lab), alertou na noite de terça-feira em sua conta no Twitter que as buscas sobre a mudança para o Canadá aumentaram em 350%, dado que aumentou posteriormente em 1.150%.

O site Mashable atribuiu o interesse no Canadá à vitória do republicano Trump em sete Estados, enquanto a rede de televisão ABC brincou hoje ao afirmar que o carisma do novo primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, pode ter motivado o gigantesco aumento nas buscas.

O Estado no qual foram feitas mais buscas sobre o Canadá foi Massachusetts, onde Trump recebeu 49% dos votos, seguido por Estados como Washington, Texas, Nova York e Califórnia.

O Mashable ressaltou que a avalanche de buscas pode explicar o erro ocorrido na meia-noite local pelo site oficial do governo canadense. "O acesso a este site pode demorar. Estamos tentando resolver o problema. Obrigado pela paciência", anunciava o site oficial canadense alguns minutos após a meia-noite local.

Parte dos acessos pode proceder da página TedCruzforAmerica.com, que apoia a campanha do senador republicano pelo Texas Ted Cruz, mas que na realidade encaminha os usuários para o site do governo canadense. / EFE

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.