Bush oferece US$ 320 milhões para refugiados afegãos

O presidente George W. Bush vai oferecer uma ajuda humanitária de US$ 320 milhões para o povo afegão mesmo com os Estados Unidos preparando um possível ataque militar ao regime que controla a maior parte do Afeganistão, o Taleban. Bush disse que os Estados Unidos estão prontos para ajudar as ?pobres almas? que sofrem sob o regime linha-dura ?numa época de crise e numa época de necessidade?. Ainda segundo Bush, ?os americanos se manterão fortes e irão se opor aos patrocinadores do terror?. Numa visita ao Departamento de Estado, hoje, Bush planejava anunciar uma ajuda de US$ 295 milhões aos afegãos que sofrem pela seca, pela fome e, agora, pela ameaça de um ataque norte-americano ao país. No fim de semana, entretanto, Bush recorreu a um fundo de emergência e conseguiu aprovar a liberação de US$ 25 milhões adicionais para os refugiados. Os US$ 320 milhões serão enviados aos afegãos por meio das Nações Unidas, da Cruz Vermelha e de organizações não-governamentais. O dinheiro também será usado para ajudar os refugiados afegãos que estão em países como Paquistão, Uzbequistão, Irã e Turcomenistão, disseram autoridades norte-americanas, falando sob a condição de anonimato. Bush disse que alimentos e medicamentos poderão ser comprados com o dinheiro, o que ajudará na sobrevivência dos afegãos durante o inverno, que é rigoroso na região. O objetivo de Bush é enfatizar a mensagem de que os Estados Unidos são contra o regime do Taleban e não contra o povo afegão, disseram as autoridades norte-americanas. ?Esta é nossa maneira de dizer que somos firme e fortemente contra o regime do Taleban, mas somos amigos do povo afegão?, disse o presidente. ?Somos uma nação misericordiosa, mas a compaixão tem limites?. A administração Bush estaria tentando diminuir o sentimento anti-americano no mundo árabe.

Agencia Estado,

04 Outubro 2001 | 13h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.