Bush sugere que Kerry contemporizará com terrorismo

Com as pesquisas de opinião a mostrar que a candidatura do senador John Kerry continua a avançar, o presidente George W. Bush subiu novamente de tom e acusou seu oponente democrata de estar interessado em reduzir o terrorismo a um mero "incômodo" com o qual os americanos podem conviver ao invés de vencê-lo de forma definitiva. A acusação, que sugere a disposição de Kerry a uma acomodação com terroristas, ilustra a retórica de ataques incessantes e cada vez mais agressivos que o presidente e seus assessores decidiram adotar para garantir o voto da base republicana e - pelos seus cálculos - a reeleição. A declaração de Kerry que gerou a dura reação de Bush foi feita em entrevista publicada na última edição da revista dominical do New York Times. "Precisamos voltar a um ponto no qual os terroristas não são mais o foco de nossas vidas, mas um incômodo", disse Kerry. "Nosso objetivo não é reduzir o terror a algum nível de incômodo aceitável", rebateu o presidente. "Nosso objetivo é derrotar o terror permanecendo na ofensiva, destruindo as redes terroristas e espalhando a liberdade ao redor do mundo", acrescentou, resumindo a mensagem que orienta sua política externa.

Agencia Estado,

11 Outubro 2004 | 19h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.