AFP/kcna
AFP/kcna

Caças F-22 dos EUA chegam à Coreia do Sul para realizar manobras

Aliados buscam pressionar a Coreia do Norte para que retorne às negociações para deixar seu programa nuclear

O Estado de S.Paulo

02 Dezembro 2017 | 07h42

SEUL - Seis caças F-22 Raptor dos Estados Unidos chegaram neste sábado, 2, à Coreia do Sul, onde na segunda-feira, 4, começam manobras conjuntas que pretendem ser uma nova exibição de força contra a Coreia do Norte, depois que Pyongyang lançou esta semana um novo míssil.

Os aviões participarão dos exercícios "Vigilant Ace" com as forças aéreas sul-coreanas, que acontecem entre 4 e 8 de dezembro.

Os EUA também devem posicionar caças F-35 e F-16 e inclusive bombardeiros estratégicos B-1B, informou a agência sul-coreana "Yonhap".

É a primeira vez que os EUA levam seis F-22 ao mesmo tempo para a península da Coreia, no que constitui outra forte mensagem de advertência para Pyongyang depois que na quarta-feira passada, 29, o país lançou o míssil balístico intercontinental Hwasong-15, o seu projétil mais sofisticado até o momento.

Durante os exercícios, os aliados simularão ataques sobre falsas instalações nucleares sul-coreanas e plataformas autopropulsadas como as que o regime de Pyongyang usa para posicionar seus mísseis.

Este exercício faz parte do acordo feito em outubro entre Washington e Seul para aumentar o "desdobramento rotacional" de ativos estratégicos americanos na península coreana.

Com isto, ambos os aliados buscam pressionar a Coreia do Norte para que retorne às negociações para deixar seu programa nuclear.

+++ Imagens mostram que novo míssil norte-coreano é maior e mais potente

Imagens do teste de míssil norte-coreano mais recente divulgadas na quinta-feira, 30,  mostraram novos motores de foguete e um design maior que provavelmente deixa Kim Jong-un mais perto de seu objetivo de lançar uma ogiva nuclear contra qualquer alvo do mundo, ainda que sem grande precisão, disseram analistas. / EFE e Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.