AP/Frank Augstein
AP/Frank Augstein

Cadela que perdeu pata no Afeganistão ganha medalha por bravura

A pastora Lucca trabalhou 6 anos como cão farejador da Unidade dos Marines dos EUA

O Estado de S. Paulo

05 Abril 2016 | 17h08

LONDRES - Uma cadela da Unidade de Marines dos EUA, que farejava explosivos e protegeu milhares de soldados americanos e das forças aliadas no Iraque e no Afeganistão, ganhou uma medalha por servir com honra nos conflitos militares.

Lucca, uma pastora alemã de 12 anos que atuou por 6 anos com os Fuzileiros Navais dos EUA, perdeu a pata esquerda em 2012 na província afegã de Helmand após encontrar uma bomba de mais de 13 quilos na beira da estrada. Ela estava farejando um outro artefato quando uma segunda bomba explodiu ferindo gravemente sua pata e causando queimaduras em suas costas. Ela foi aposentada.

A cadela foi homenageada por salvar milhares de soldados das tropas aliadas. Não ocorreu nenhuma baixa entre os militares durante suas patrulhas. Ela ganhou a Medalha Dickin, o equivalente à Cruz da Vitória, por bravura. Lucca foi 67º animal a receber a honraria, mas foi o primeiro cão da Unidade de Marines dos EUA a ganhar a medalha.

Seu proprietário, o sargento Christopher Willingham, de Tuscaloosa, Alabama, estava ao lado de Lucca, em Londres, quando ela recebeu a medalha.

“Lucca  é muito inteligente, leal e tinha um grande senso de dever quando trabalhava como cão farejador. Fui muito sortudo em trabalhar com ela. Hoje, faço o possível para que disfrute sua bem merecida aposentadoria", disse o sargento. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.