Cai apoio britânico à ofensiva no Afeganistão

Os britânicos começaram a ter dúvidas sobre os bombardeios no Afeganistão e a maioria agora pensa que deveria haver uma pausa, segundo uma pesquisa do jornal The Guardian divulgada hoje. De acordo com o levantamento, o apoio popular geral aos bombardeios caiu 12 pontos porcentuais e confirma os temores do primeiro-ministro Tony Blair sobre a mudança de posição do povo britânico em relação à guerra liderada pelos EUA e apoiada diretamente por Londres. A pesquisa indica que, no caso específico das mulheres, a queda no apoio à ofensiva foi maior, de 17 pontos porcentuais, caindo de 68% para 51%. Com relação à população mais idosa do país, o apoio caiu de 71% para 54%. Do total dos entrevistados, 20% estão totalmente contra a guerra e 54% acreditam que deveria ser permitida a entrada de ajuda humanitária no Afeganistão. Com relação ao envio de tropas britânicas ao cenário de guerra, 57% aprovaram a decisão de Blair. A agência ANSA não informou quantas pessoas foram entrevistas, a data do levantamento, nem a margem de erro da pesquisa. Leia o especial

Agencia Estado,

30 Outubro 2001 | 13h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.