1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Caminhões de ajuda russos começam a deixar a Ucrânia

Estadão Conteúdo

23 Agosto 2014 | 08h 02

Caminhões marcados como sendo de um comboio de ajuda russo que estavam indo para a Ucrânia começaram a retornar à Rússia neste sábado. Pelo menos 67 caminhões entraram na fronteira que passa pela cidade russa de Donetsk antes do meio-dia (horário local). Do lado ucraniano da fronteira, uma fila de caminhões de cerca de 3 quilômetros de comprimento estava esperando para atravessar. O ponto de verificação do lado ucraniano está sendo operado por rebeldes separatistas, que inspecionam os caminhões.

Cerca de 40 caminhões vistos por jornalistas no lado ucraniano estavam vazios, mas não foi possível determinar se todos os outros transportavam carga. Um motorista, que se recusou a fornecer seu nome, disse que o comboio inteiro de cerca de 260 veículos esperava para retornar neste sábado para a Rússia. A agência de notícias estatal RIA Novosti afirmou que, segundo o serviço alfandegário russo, os caminhões retornariam divididos em seis grupos.

O comboio se dirigiu ontem para a Ucrânia com destino a Luhansk, uma cidade no leste do país fortemente atingida durante semanas por combates entre as forças ucranianas e rebeldes pró-russos. O governo ucraniano e os países ocidentais denunciaram a medida como uma violação da soberania da Ucrânia e acusaram a Rússia de utilizar o comboio para contrabandear suprimentos e reforços para combatentes rebeldes. A Rússia disse que os caminhões estavam transportando alimentos, água, geradores e sacos de dormir. Jornalistas tiveram permissão para olhar o interior dos caminhões dias atrás e viram esses itens nos veículos.

Em um comunicado separado, a Otan disse que há evidência crescente de que as tropas russas estão operando dentro da Ucrânia e lançando ataques de artilharia do solo ucraniano - em um envolvimento mais profundo no conflito que o alegado pelo Ocidente anteriormente. A Rússia também rejeitou a acusação.

É incerto o que o comboio russo entregou efetivamente. Descarregar centenas de caminhões em menos de um dia em uma região maltratada pela guerra representa uma tarefa considerável. Jornalistas da Associated Presse, que acompanhavam o comboio para Luhansk na sexta-feira, disseram que o barulho feito pelos caminhões indicou que eles não foram totalmente carregados. Fonte: Associated Press.