REUTERS/Benoit Tessier
REUTERS/Benoit Tessier

Candidatos à presidência da França comentam ataque em Paris

Os cinco políticos melhores colocados nas pesquisas usaram suas contas no Twitter para enviar homenagens e solidariedade às famílias dos policiais mortos na avenida Champs-Élysées

O Estado de S.Paulo

20 Abril 2017 | 17h57

PARIS - Os cinco candidatos mais bem colocados nas pesquisas para a presidência da França usaram suas contas na rede social Twitter para comentar o ataque desta quinta-feira, 20, na avenida Champs-Élysées, em Paris, que deixou ao menos 2 mortos, incluindo o agressor. O país realizará o primeiro turno da eleição neste domingo.

Benoit Hamon, candidato do Partido Socialista (PS) - o mesmo do presidente François Hollande -, destacou seu "apoio total" a aplicação da lei contra o terrorismo. "Meus pensamentos vão para o policial morto e seus colegas feridos", escreveu, antes da confirmação da morte do segundo policial.

Já Marine Le Pen, líder do partido de extrema direita Frente Nacional, se disse "emocionada" com a situação e enviou sua solidariedade para a polícia, "mais uma vez alvo (de ataques)". O social-liberal Emmanuel Macron, do movimento En Marche!, enviou sua "solidariedade às forças de segurança" do país e disse que "o primeiro dever, a primeira missão do presidente é proteger". Le Pen e Macron são os favoritos para avançarem ao segundo turno na votação de domingo

Além deles, François Fillon, do partido Republicanos também prestou suas condolências após o ataque. "(Minha) homenagem aos policiais que dão suas vidas para nos proteger", disse. O último a falar sobre o ataque foi o candidato radical de esquerda Jean-Luc Mélenchon, do movimento França Insubmissa, que também enviou sua solidariedade para as famílias. "Atos terroristas nunca ficarão impunes e os cúmplices nunca serão esquecidos", escreveu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.