AFP/Philippe Huguen
AFP/Philippe Huguen

Candidatos à presidência votam em Paris entre fortes medidas de segurança

Polícia francesa chegou a inspecionar nesta manhã as dependências municipais na busca de possíveis explosivos

O Estado de S.Paulo

23 Abril 2017 | 08h10

PARIS - O candidato social liberal à Presidência da França Emmanuel Macron, favorito nas pesquisas, votou neste domingo no primeiro turno das eleições acompanhado de sua mulher na localidade de Le Touquet, na costa atlântica do país. Macron, que aos 39 anos quer se tornar o presidente mais jovem da história da França, chegou ao local de votação em meio a grandes medidas de segurança, devido ao elevado nível de alerta vivido no país.

Vestido com terno e gravata, com o semblante tranquilo, o candidato foi obrigado a esperar vários minutos na fila devido à forte afluência de eleitores ao local de votação depois das 10h30 (horário local, 5h30 em Brasília). Após votar, Macron posou junto aos integrantes da seção eleitoral para uma fotografia e, ao deixar a sala, cumprimentou os eleitores que estavam em seu interior.

Ministro de Economia de François Hollande entre 2014 e 2016, Macron aparece como favorito para vencer o primeiro turno, junto com a candidata ultradireitista Marine Le Pen. No entanto, as pesquisas registram nas últimas semanas um retrocesso das intenções de voto de ambos, em paralelo a um aumento destas intenções em relação ao conservador François Fillon e ao candidato de extrema esquerda Jean-Luc Mélenchon.

A candidata Marine Le Pen votou neste domingo no primeiro turno das eleições em seu reduto eleitoral de Hénin-Beaumont, no norte do país, onde também pretende continuar durante todo o dia. Acompanhada do prefeito da cidade, Steeve Briois, também da Frente Nacional (FN), Marine votou em meio a uma grande expectativa da imprensa.

A candidata não estava acompanhada de seu marido, o também eurodeputado Louis Alliot, que é vereador de Perpignan, no sul do país. Vestida com roupas escuras, sorridente, Marine cumprimentou os componentes da mesa eleitoral antes de deixar o local.

O candidato conservador à Presidência francesa, François Fillon, depositou seu voto na Câmara municipal do distrito VII, no centro de Paris, entre fortes medidas de segurança, devido à ameaça de um atentado terrorista. Segundo revelou ele mesmo, Fillon era um dos alvos dos dois supostos jihadistas que foram detidos em Marselha na semana passada com planos para executar um atentado "iminente". Por essa razão, especialistas da polícia inspecionaram esta manhã antes de sua abertura as dependências municipais na busca de possíveis explosivos.

Um Fillon sério e com terno cinza depositou seu voto na urna às 11h45 (horário local, 6h45 em Brasília) sozinho, pois sua esposa Penelope Fillon tinha feito o mesmo no começo da manhã em sua localidade de Sablé-sur-Sarthe, por onde o candidato conservador foi deputado e também prefeito.

O candidato de extrema esquerda Jean-Luc Mélenchon votou na Câmara Municipal do 10º distrito de Paris acompanhado de seus principais colaboradores de campanha. Sorridente e bem tranquilo, Mélenchon depositou seu voto na urna após ter se tornado a grande surpresa em uma campanha que o levou a quase 20% das intenções de voto nas pesquisas. A exemplo dos outros candidatos que já votaram, a chegada de Mélenchon ao colégio eleitoral aconteceu sob fortes medidas de segurança. EFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.