Matt Holyoak/CameraPress/PA Wire/Handout via REUTERS
Matt Holyoak/CameraPress/PA Wire/Handout via REUTERS

Carruagem horrível e coroas desconfortáveis: a coroação de Elizabeth II

Monarca descreveu o peso - literal - da coroa em um documentário da BBC, que revela que as joias da monarquia foram escondidas dos nazistas em uma caixa de biscoitos

O Estado de S.Paulo

12 Janeiro 2018 | 14h00

LONDRES - Pela primeira vez falando abertamente sobre sua coroação de 65 anos atrás, a rainha Elizabeth II , do Reino Unido, revelou o quão desconfortável foi o trajeto em sua carruagem de ouro até a cerimônia, e como usar a Coroa Imperial do Estado poderia “quebrar seu pescoço”.A rainha Elizabeth II da Inglaterra descreveu o peso - literal - da coroa em um documentário da BBC que revela que as joias da monarquia foram escondidas dos nazistas em uma caixa de biscoitos.

+ Princesa Charlotte vai pelo primeiro dia à creche

Elizabeth, a monarca a ocupar o trono britânico por mais tempo, foi coroada rainha no dia 2 de junho de 1953, na Abadia de Westminster, em Londres, em uma grande cerimônia tradicional cujas origens datam de mil anos atrás.

Em um muito raro e pessoal relato para um documentário da BBC que irá ao ar no domingo, Elizabeth fala abertamente sobre a ocasião e alguns elementos que desempenhavam um papel simbólico na cerimônia.

“Horrível”, disse sobre o trajeto em uma carruagem de quatro toneladas do Palácio de Buckingham até a abadia onde monarcas britânicos são coroados desde 1066. “É apenas revestido de couro, não muito confortável”.

Elizabeth, agora com 91 anos, tinha apenas 25 quando se tornou rainha após a morte de seu pai, George 6º, em 1952, com a coroação acontecendo no ano seguinte.

+ Meghan Markle participa de celebrações do Natal real na Inglaterra

Peso

“É o tipo de, eu suponho, início da vida de alguém realmente como soberano”, disse. “É um tipo de cortejo de cavalheirismo e uma maneira antiquada de fazer as coisas, na verdade. Eu vi uma coroação (a de seu pai, em 1937) e fui a recebedora na outra, o que é bem notável”.

Elizabeth usou duas coroas na cerimônia: a Coroa de Santo Eduardo, que tem usado desde então, e a Coroa Imperial do Estado incrustada de diamantes, que ela ainda usa em ocasiões formais como a abertura do Parlamento, quando faz um discurso resumindo os planos legislativos do governo.

+Rainha Elizabeth II adota cão de funcionário que morreu

"Quando alguém usa essa coroa de 1,28 quilo, adornada com muitas pedras preciosas, não pode olhar para baixo para ler o discurso, tem que levantar o discurso, porque se fizesse isso quebraria o pescoço", explicou a monarca nesta entrevista para um documentário que será transmitido no domingo.

"As coroas têm desvantagens, mas fora isso são coisas muito importantes", brincou, em uma das raríssimas ocasiões em que falou com um meio de comunicação.

A coroa foi feita para o pai da rainha, George VI, em 1937, e contém 2.868 diamantes, 17 safiras, 11 esmeraldas e centenas de pérolas."Felizmente, meu pai e eu temos uma forma de cabeça parecida, e quando a coloco ela se ajusta", acrescentou. 

Operação secreta

O documentário da BBC, por ocasião do 65º aniversário da coroação de Elizabeth II, em 1953, revela os detalhes da operação para esconder as joias da Coroa caso os nazistas invadissem o país na Segunda Guerra Mundial. 

A operação foi ordenada pelo pai da rainha, e foi rodeada de tanto segredo que a própria Elizabeth II, de 91 anos, não a conhecia os detalhes, até que foram explicados a ela pela BBC.

As joias foram levadas ao Castelo de Windsor e guardadas em uma caixa de biscoitos que foi enterrada em uma câmara construída debaixo da terra.

A câmara era construída à noite e todos os dias a superfície da obra era coberta para que os aviões alemães não vissem o que estavam escavando.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.