Casa Branca retarda retirada e mantém todos os soldados no Afeganistão

A Casa Branca afirmou que os Estados Unidos irão manter os atuais 9.800 soldados no Afeganistão até o final de 2015, ao invés de reduzir o número pela metade, como planejado anteriormente. A quantidade de soldados que continuarão em 2016 será decidida ao longo deste ano.

Estadão Conteúdo

24 Março 2015 | 16h09

"O Afeganistão continua a ser um lugar perigoso e é importante manter a cooperação de segurança entre os dois países", disse o presidente norte-americano, Barack Obama. Ele acrescentou que um novo governo no Afeganistão abre um novo capítulo nas relações entre os dois países.

O presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, pediu ao presidente norte-americano para retardar a retirada dos soldados de seu país, porque o Exército afegão está se preparando para duros combates na primavera, além de lutar contra o Estado Islâmico, que tem recrutado homens em solo afegão.

O plano original era cortar o número de soldados para 5.500 até o final deste ano. Obama fez o anúncio em uma coletiva de imprensa, após sua primeira reunião com o novo líder do Afeganistão. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Estados Unidos Afeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.