Tsvangirayi Mukwazhi/AP
Tsvangirayi Mukwazhi/AP

Cerca de 1,4 milhão de crianças correm risco de morrer por desnutrição, aponta Unicef

Problema afeta principalmente países como Nigéria, Somália, Iêmen e Sudão do Sul

O Estado de S.Paulo

21 Fevereiro 2017 | 08h11

NAÇÕES UNIDAS - A Unicef alertou na segunda-feira que a grave desnutrição que afeta países como Nigéria, Somália, Sudão do Sul e Iêmen apresenta "iminente risco" de morte para 1,4 milhão de crianças pela crise de fome nessas regiões.

"Ainda podemos salvar muitas vidas. O tempo se esgota para mais de um milhão de crianças", disse o diretor-executivo da Unicef, Anthony Lake.

No caso da Nigéria, a organização calcula que 450 mil crianças do nordeste do país sejam afetadas pela desnutrição aguda em razão dos conflitos armados na região.

A seca vivida pela Somália, por outro lado, fez com que 6,2 milhões de pessoas, a metade da população do país, esteja em situação de "aguda insegurança alimentícia". A Unicef estima que ao longo do ano 185 mil crianças sofram de desnutrição.

No Sudão do Sul, os conflitos armados e a pobreza do país já fizeram com que 270 mil crianças estejam gravemente desnutridas. No Iêmen, a guerra que afeta o país a dois anos já levou 462 mil crianças à desnutrição.

"A grave desnutrição e a crise de fome são ocasionadas em grande parte pelo humano. A humanidade que compartilhamos demanda ações rápidas", disse Lake. / EFE

 

Mais conteúdo sobre:
Fome Nigéria Somália Desnutrição Unicef

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.