REUTERS/Abdalrhman Ismail
REUTERS/Abdalrhman Ismail

Para chefe de direitos humanos da ONU, violência na Síria levará a novos níveis de horror

Zeid Ra'ad al-Hussein pediu para todos os lados recuarem de um possível retorno a uma guerra, e afirmou que ‘a violência está voltando a níveis vistos antes da cessação de hostilidades’

O Estado de S. Paulo

29 Abril 2016 | 09h38

BEIRUTE - A crescente violência na Síria, que sofre com o fim de um frágil acordo de cessar-fogo e o colapso de conversas de paz, pode resultar em novos níveis de horror, afirmou o chefe de direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta sexta-feira, 29, afirmando que todas as partes mostraram um "monstruoso desrespeito" pelas vidas de civis.

"A cessação de hostilidades e as conversas de Genebra eram a única solução possível, e se estão abandonadas agora, tenho que pensar sobre quanto mais horror iremos ver na Síria", disse Zeid Ra'ad al-Hussein em comunicado, pedindo para todos os lados recuarem de um possível retorno a uma guerra.

"A violência está voltando a níveis que vimos antes da cessação de hostilidades. Há relatos profundamente perturbadores de postos militares indicando preparações para um escalada letal", acrescentou.

As conversas de paz em Genebra com o objetivo de acabar com a guerra, que criou a pior crise de refugiados do mundo, permitiu o crescimento do Estado Islâmico e atingiu potências regionais e mundiais. Contudo, as negociações falharam e o acordo de cessação das hostilidades que seria implementado não teve sucesso.

Ataques aéreos na quarta-feira destruíram um hospital e mataram dezenas de pessoas em áreas tomadas por rebeldes em Alepo, no norte da Síria, incluindo crianças e médicos. /Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.