Ihsanullah Mahjoor/AP
Ihsanullah Mahjoor/AP

Chefe do Estado Islâmico no Afeganistão é morto pelos EUA

Ataque aéreo matou membro do alto escalão do grupo jihadista, além de outros chefes locais

AFP e Reuters

13 Agosto 2017 | 10h03

Um dos membros do alto escalão do grupo jihadista Estado Islâmico no Afeganistão e outros chefes locais morreram na quinta-feira, 10, em um ataque aéreo do exército dos Estados Unidos. A informação foi divulgada neste domingo, 13, pelo general John Nicholson, comandante das forças do país no local. 

Abdul Rahman era chefe do grupo EI-Jorasán, um braço do EI na província de Kunar, noroeste do Afeganistão, disse Nicholson. A ofensiva aconteceu no distrito de Darah-Ye Pach. 

Em 11 de julho, os EUA já haviam atacado o quartel general do EI-Jorasán em Kunar, matando outro chefe do grupo, Abu Sayedm o terceiro membro chave do EI desde julho de 2016. Segundo Nicholson, Rahman era o principal candidato a sucessor de Sayed. 

No sábado, oficiais afegãos afirmaram que um ataque matou 16 civis, incluindo mulheres e crianças, em Nangarhar, outra província. Oficiais americanos, porém, afirmara que apenas militantes foram mortos. 

O EI, que perde terreno no Iraque e na Síria, apareceu no Afeganistão no começo de 2015 e se espalhou pelo norte do país, onde reivindicou diversos atentatos antixiitas.

Do outro lado, a força aérea dos EUA ampliou ataques no Afeganistão este ano, tanto contra o EI quanto contra o Talibã, grupo islâmico dominante. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.