Gabriella Demczuk/Getty Images/AFP
Gabriella Demczuk/Getty Images/AFP

Coalizão contra o EI matou mais de 8,5 mil terroristas, diz general dos EUA

A coalizão norte-americana contra o Estado Islâmico no Iraque matou mais de 8,5 mil combatentes terroristas desde o início da ofensiva, em agosto do ano passado, informou um alto comissário dos EUA nesta terça-feira.

AE, Estadão Conteúdo

03 Março 2015 | 17h05

O general Lloyd Austin, líder do Comando Central dos EUA, disse também que o Estado Islâmico, grupo terrorista que controla partes importantes do norte e do oeste do Iraque desde meados de 2014, não é mais capaz de capturar novos territórios na região. "O grupo assumiu uma posição defensiva no Iraque", afirmou.

O general informou ainda que, além da morte de ao menos 8,5 mil combatentes do EI, a coalizão destruiu "centenas" de veículos, tanques e armas pesadas do grupo. Os bombardeios também afetaram a capacidade do grupo de gerar receitar ao atacar refinarias de petróleo e postos de coleta de óleo bruto, especialmente na Síria.

"O fato é que ele [o Grupo] não pode mais fazer o que fez há meses atrás, quando tomava de assalto grandes regiões e conseguia manter o controle sobre elas", afirmou o general.

As declarações de Austin estão presentes em um discurso que ele prepara para apresentar ao presidente Barack Obama sobre a atual situação da luta contra o EI. O general foi comandante das forças dos EUA durante a Guerra do Iraque. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Estado Islâmico EUA Coalizão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.