Coalizão de Berlusconi conquista maioria no Senado

A coalizão conservadora de Silvio Berlusconi conquistou a maioria no Senado e parece próxima de obter o mesmo sucesso na Câmara baixa, aumentando as chances de que o magnata das comunicações se torne, novamente, o primeiro-ministro da Itália. Nem Berlusconi nem a atual coalizão governista de centro-esquerda clamam vitória ou admitem a derrota, mas partidários de Berlusconi mostravam-se hoje como vencedores, à medida que passava o dia e acumulavam-se resultados a seu favor. Berlusconi precisa de uma maioria na duas casas para ser capaz de formar rapidamente um governo. Segundo resultados quase completos divulgados pelo Ministério do Interior, a coalizão de Berlusconi ganhou pelo menos 163 cadeiras no Senado - o mínimo para uma maioria - e as forças de centro-esquerda do ex-prefeito de Roma, Francesco Rutelli, ficaram com 106. Outros 83 assentos serão distribuídos, uma vez que todos os resultados sejam apurados, tornando provável que Berlusconi desfrute de uma considerável maioria na Câmara alta. Na Câmara dos Deputados, projeções extra-oficiais indicam que a coalizão de Berlusconi terá entre 330 e 365 cadeiras, e a centro-esquerda, entre 250 e 280. Uma maioria na Câmara é de 316. A caótica votação de ontem - na qual alguns italianos rasgaram suas cédulas e destruíram mesas de votação em protesto contra longas filas - complicou tanto a contagem quanto as pesquisas e projeções de resultados. O último voto foi dado às 5 da manhã de hoje (horário local) no sul da Itália - sete horas depois do horário em que as urnas deveriam ter sido fechadas.

Agencia Estado,

14 Maio 2001 | 12h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.