Colombiano que pesa 400kg é levado em helicóptero para atendimento médico

Colombiano que pesa 400kg é levado em helicóptero para atendimento médico

O jovem de 22 anos sofre com múltiplas complicações de saúde devido à obesidade

EFE

03 Dezembro 2017 | 01h24

BOGOTÁ - A fundação Gorditos de Corazón e a Força Aérea da Colômbia (FAC) realizaram neste sábado, 2, uma "operação de resgate" para transferir em helicóptero à cidade de Cali, no sudoeste do país, um jovem de 22 anos que pesa 400 quilos e necessita de tratamento médico urgente para salvar sua vida.

Didier Silva, conhecido como "El gigante de Mosquera", sofre com transtornos mentais, que o tornam "extremamente agressivo", e múltiplas complicações de saúde devido à obesidade, indicou a fundação em comunicado.

O jovem vive no município de Mosquera, no departamento de Nariño, com sua avó de 85 anos, e está há 12 anos sem andar devido a atrofia em suas pernas.

+++ Mais de 2 bilhões de pessoas têm sobrepeso ou obesidade, aponta estudo

Segundo a Gorditos de Corazón, "diabetes, hipertensão, apneia do sonho, linfedemas, úlceras varicosas, dolorosas lacerações na pele que ficam cada vez piores pela falta de tratamento", são algumas das patologias que o jovem apresenta.

Além disso, a fundação acrescentou que ele "começou a sofrer de anemia crônica, por isso seu coração poderia parar de bater a qualquer momento".

+++ Obesidade se previne na gestação

Para oferecer a Didier o tratamento necessário, a Força Aérea da Colômbia o transferiu hoje em uma operação de resgate que também contou com o navio-hospital San Rafaella, com o corpo de Bombeiros, paramédicos, psicólogos e voluntários.

Didier Silva foi sedado durante o trajeto que o levou ao hospital universitário em Cali, onde serão realizados os primeiros exames.

No entanto, segundo a Gorditos de Corazón, o jovem "precisa de um tratamento longo e complexo em um lugar adequado onde possa residir e estar permanente sob os cuidados de profissionais e funcionários preparados para esses casos". /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.